Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

1978

Criação da Portocork Internacional, S.A. Importante unidade de produção de rolhas de cortiça natural, cuja marca rapidamente se impõe no mercado.

Constituição da Ipocork - Indústria de Pavimentos e Decoração, S.A. (atual Amorim Revestimentos, S.A.) marca a entrada da Corticeira Amorim no mercado dos parquets e dos revestimentos.

1976

A expansão internacional segue por caminhos Ibéricos. É adquirida a Samec, S.A. - Sociedad Anónima de Manufactura Española del Corcho, uma das maiores empresas da indústria corticeira da Espanha, país com um montado de sobro muito relevante.

1973

A Corticeira Amorim inicia com êxito a produção de cortiça com borracha.

1972

É criada a primeira unidade fabril de transformação de cortiça fora de território nacional, a Comatral - Compagnie Marocaine de Transformation du Liège, S.A., em Skhirat, Marrocos. Está instalada na segunda região de montado de sobro mais importante do mundo, a costa mediterrânea de África. Marrocos representa 400 mil hectares de área produtiva, 15% do total mundial, apesar de a sua produção ser apenas na ordem das 26 mil toneladas de cortiça/ano.

Assiste-se a uma alteração no tecido produtivo do setor corticeiro português. Metade da matéria-prima exportada é já transformada industrialmente, representando 75% do valor da exportação de cortiça portuguesa. Mantendo-se líder no setor, Portugal assume-se como país transformador. O distrito de Aveiro, onde está sediada a base da Corticeira Amorim, passa a ser a capital rolheira do país, responsável por cerca de 75% da produção nacional.